Posicionamento da FENEAUTO quanto a exigência do Simulador de Direção Veicular

A FENEAUTO apresenta abaixo o posicionamento da entidade quanto a exigência do uso do simulador de direção, para tanto, apresenta um pequeno histórico da legislação quanto a esta exigência.

A Resolução 74/98 do CONTRAN já tinha como previsão o uso do simulador de direção ou veículo estático, sendo que, esta norma legal foi revogada pela Resolução 358/2010 do CONTRAN que também manteve a exigência do simulador de direção ou veiculo estático, entretanto, em todo este período, ou seja, de 1998 até outubro de 2011 não havia definição dos requisitos mínimos para a homologação deste simulador, porém, em 11 de outubro de 2011 o Departamento Nacional de Trânsito – DENATRAN editou a Portaria n° 808 que estabelece os requisitos mínimos para a homologação do simulador. Neste sentido, é importante destacar que a FENEAUTO vem se posicionando de maneira muito clara quanto ao uso do simulador, ou seja, que sempre seremos favoráveis a toda ação, projeto ou exigência que tenha como propósito aprimorar o processo de Formação de Condutores do Brasil, entretanto, não aceitaremos mais a imposição de um novo equipamento ou exigência que possa atender apenas e tão somente a interesses comerciais.

Quanto ao andamento deste processo informamos que a FENEAUTO foi convidada em 2010 a participar do Simpósio Tecnológico realizado pela Universidade Federal de Santa Catarina onde, na oportunidade, foi apresentado o projeto denominado “Estudo do Uso de Simuladores e Recursos de Realidade Virtual para Formação de Condutores em CFC´s”, na ocasião foi observado a seriedade de como estava sendo tratado este assunto, paralelo a esta ação a Câmara Temática de Habilitação criou um grupo de trabalho específico para tratar do uso do simulador, a qual a FENEAUTO também teve ativa participação no grupo de trabalho.

Em outubro de 2012 o DENATRAN editou a Portaria 513 estabelecendo os requisitos para o credenciamento de Organismos de Certificação de Produto – OCP que irá tratar dos requisitos para a certificação e homologação do simulador de direção.

Também em outubro de 2012 o CONTRAN editou as Resoluções 420 e 421 e em novembro de 2012 o CONTRAN torna insubsistente estas Resoluções e edita as Resoluções 422 e 423 que disciplinam a obrigatoriedade a partir de 01 de julho de 2013 de 05 (cinco) horas aula de 30 minutos no curso teórico técnico de simulação de prática de direção veicular.

Em fevereiro de 2013 o CONTRAN editou a Resolução 435 que torna o curso de simulador em módulo especifico e pré-prático, tirando portanto, do curso teórico-técnico.

Em Junho de 2013 o CONTRAN editou a resolução 444 prorrogando a exigência do uso de simulador para até 31 de Dezembro de 2013 e aponta que as aulas realizadas no simulador de direção serão ministradas após o início das aulas teóricas e, antes da expedição da Licença para Aprendizagem de Direção Veicular – LADV.

Neste atual momento temos a informação do DENATRAN que 03 (três) empresas já estão devidamente  certificadas e homologadas pelo DENATRAN para oferecer o simulador de direção, sendo que, uma quarta empresa já esta se homologando e outras 03 (três) empresas também estão buscando esta regularidade.

A FENEAUTO destaca que na audiência pública realizada no dia 24 de Setembro de 2013 na Camara dos Deputados, na Comissão de Viação e Transporte se posicionou claramente quanto ao simulador de direção, ou seja, somos favoráveis, entretanto, se faz necessário o melhoramento e aprimoramento dos equipamentos que estão sendo apresentados para a categoria, especialmente quanto a proposta pedagogica e quanto ao treinamento dos instrutores de trânsito ou diretores de CFC que iram ministrar aula neste equipamento, fato este que se não ocorrer tomaremos a posição de contrariedade a esta  exigência.

Finalizando, gostariamos de deixar registrado que a FENEAUTO vem recomendando aos Sindicatos Estaduais desde 2012, que informem a categoria quanto ao atual cenário para que os CFC’s mantenham cautela e prudência na tomada de decisão, destacando que cabe aos Sindicatos Estaduais alertar e informar a categoria quanto as empresas que estarão devidamente certificadas e homologadas, bem como, as empresas parceiras dos Sindicatos e que possam oferecer uma melhor condição comercial.

Magnelson Carlos de Souza
Presidente – FENEAUTO Federação Nacional das Auto Escolas/CFC’s

Anúncios

9 Respostas para “Posicionamento da FENEAUTO quanto a exigência do Simulador de Direção Veicular

  1. Muito oportuna a posição da Feneauto, precisamos e muito de entidades que representem os CFCs, não somos contra mas precisamos urgentemente que Denatran, Detran olhem para os CFCs com mais respeito!!

  2. Muito bem, agora me esclareça uma coisa com certeza irei ter candidatos que vão optar só pela categoria moto, me diga ai que fundamento terá esse simulador… ?

  3. este simulador de nada irá adiantar, o que estas empresas querem é abocanhar uma grande quantidade de dinheiro em cima dos CFCs, se é tão bom por que o governo não subsidia?

  4. QUESTIONAMENTO A RESPEITO DO SIMULADOR:
    1. Porque os números de acidentes de trânsito são tão altos em nosso país?
    Seria por falta de treinamento em simulador?
    Seria pelo mau estado de conservação das nossas estradas?
    “Ou seria pelo mau comportamento dos condutores?”
    Quando a estrada é ruim, devemos aumentar a velocidade ou reduzir a velocidade? O problema está na estrada?
    2. Os condutores recém formados, que possuem pouca experiência e habilidade de prática de direção veicular são os maiores causadores de acidentes? Não seriam os maiores causadores de acidentes aqueles condutores mais habilidosos, que excedem na confiança, que dirigem embriagados e etc?
    ENTÃO RESPONDAM UMA COISA:
    O SIMULADOR RESOLVERÁ O PROBLEMA DO TRÂNSITO EM NOSSO PAÍS? É UMA PRIORIDADE?
    Vejo o simulador como um equipamento interessante, para certas situações como, treinamento de situações de risco – mas treinar situação de risco apenas uma vez quando tirar a CNH é pouco, após 5 ou 10 anos o condutor lembrará o que fazer na hora do perigo? Treinamento prático precisa de repetição e periodicidade, do contrário cai no esquecimento.
    Pilotos de avião treinam em simuladores, afinal, aprender a pilotar direto em uma aeronave que custa milhões de reais é um pouco delicado, não acham? Pilotos de avião treinam situações de risco em simulador com certa frequência, sem contar que eles precisam aprender a pilotar a aeronave por instrumentos, sem a menor condição de visibilidade.
    Está faltando fundamentar a necessidade do uso do simulador.
    Como a “National Center Injury ”, instituto do Governo Americano pode dizer que após a introdução dos simuladores os números de acidentes de trânsito cairão em 50% nos primeiros 24 meses – fonte: http://www.paradapelavida.com.br/noticias-interna/?noticia=2900 – se o problema maior é comportamental e não prática de direção veicular?
    Analisem, sejam críticos, tentem imaginar além do que está sendo divulgado!
    Alguém lembra do kit de primeiro socorros?
    Está na hora de tratar a causa, ir na origem do problema e parar de arranjar coisa para encher o bolso de dinheiro.
    O que nós precisamos para ter um trânsito melhor é mais educação, fiscalização, punição e vergonha na cara!

Envie um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s